Fabio diz “focar apenas em nossa cultura e não apenas nos processos e a chave para obter inovações suficientes para nos manter à frente dos concorrentes.”.
Os autores Rosabeth moss e Ricardo Pinho vem trazendo a importância de uma empresa com valores sustentáveis dentro de um país. O Brasil teve sua independência em 1822 depois de séculos de domínio Português por sua vasta riqueza ambiental com ampla força de trabalho. Tornando-se a principal força econômica e líder regional da América do Sul. Desde os anos 80 foi decaindo no crescimento real, inflação e dívida externa sem uma direção política.

Para mensurar esta importância o autor divide por alguns setores, industrial, econômico (setor bancário), valores e influências em um todo e resultados.

O Banco Real teve o ponta pé inicial de sustentabilidade, implantando gerenciamento identificando necessidades e oportunidades, em um auto avaliação conseguiam mencionar um aspecto geral em questões ambiental, sociais, esportes e busca de algo relevante dentro da realidade de cada localidade. Um dos bancos colocou uma nova realidade, junto com as autoridades tirando a marginalidade ao lado do banco e patrocinando quiosques criando um jardim e iluminação mantendo um lugar habitável, segura e agradável, proporcionando emprego a jovens de família baixa renda.

Contudo para um desenvolvimento mais eficaz subdividiram as gestões, de mercado, administrativo e ação social onde supervisionariam projetos e programas ajudando a implantar essa cultura por todo banco. Em 2002 criou relacionamentos com várias ONG’s em prol da educação.

Os líderes do Banco ABN AMRO REAL iniciaram também estratégias para alcançar seus clientes a responsabilidade socioambiental de sua localidade, onde desperto um certo receio em suas unidades, mas mesmo com essa expectativa apreensiva obtiveram resultados positivos onde empresas mudaram sua filosofia de produtividade mantendo um trabalho sustentável, em dezembro de 2004, o número de empresas removidas da lista de clientes era pequeno mediante ao efeito na sociedade.

Voltando para uma visão internacional o banco ABN AMRO REAL, junto com outras dez instituições bancarias para o financiamento de mais de 50 milhões, estabelecidas pelo IFC critérios sociais e ambientais. 

A sustentabilidade chegando a baixa rendo com o Real microcrédito em parceria com a Accion Internacional uma ONG que trabalhava com microcrédito em diversos países, dando o pontapé inicial na comunidade de Heliópolis a maior de São Paulo. Disponibilizando apenas para famílias de baixa renda em média de 3 salários mínimos com alguma garantia de renda ou alguma pessoa que servisse de avalista. A sustentabilidade chegando aos fornecedores reuniram 15 empresas de pequeno a grande porte com profissionais qualificados com a IBM onde teria a propagação do Banco de valor, onde em cada tipo de serviço poderia agregar a sociedade com valores e ética em seus comportamentos profissionais. Na via da responsabilidade social trabalhando a cultura dentro do banco, com os 3 rs e Diversidade através de reduzir, reutilizar e reciclar onde trouxe a responsabilidade de cada um com o meio ambiente, possibilitando reciclagem de lixos para serem reaproveitado onde as agencias passaram reduzir utilização de papeis, onde seus utensílios utilizados poderiam ser reciclados. Um grande sucesso foi a implantação de papeis reciclados, onde foi a pioneira possibilitando o uso de papeis reciclados com o mesmo valor da folha normal reduzindo a agressão ambiental.

Vivendo com as diferenças onde a cultura introduzia a capacidade da diversificação e as diferenças entre as pessoas, buscando a aproximação orgânica e inspiradora.

Conforme Fabio diz “focar apenas em nossa cultura e não apenas nos processos e a chave para obter inovações suficientes para nos manter à frente dos concorrentes.” Permanecer inovando é essencial para dar vida aos negócios.